quarta-feira, 20 de julho de 2011

"Heroína"

Símbolo de amor,
perseverança e desprendimento.
Guerreira, amiga, emotiva, carinhosa, dedicada...
Poderia escrever aqui milhares de adjetivos...
Mas todos eles traduzem em uma só palavra:
                                                                           Mulher
Minha heroína não tem nome, nem rosto, nem idade...
Levanta todos os dias antes de nascer o sol
 e só volta para casa ao anoitecer.
Cria seus filhos sem homem, mas ama,
Não é Amélia, porque tem suas vaidades... 
Gosta de Alfazema,
 das curvas do corpo e do viço da pele.
Vive um dia de cada vez;
 não tem muito tempo para viver,
Mas vive.
E é feliz porque pode trabalhar e sustentar os seus, 
ainda que modestamente.
É decente, é guerreira...
 chora, mas não lamenta, 
cai e Levanta... E canta.
Canta e dança à vida,
 mesmo com tão pouco pra se encantar.
E sorri... isso com muito gosto.
Não veste seda nem jeans.
 Na verdade nem sabe
O tecido das roupas que usa.
Mas é cheirosa... 
Não é Camélia, nem rosa, nem acácia ou fúcsia...
é raça.
Minha heroína
 é uma e todas que aprecio neste mundo.
E que pra não deixar de ter idade,
que escolham a que desejarem.
E que pra ter um rosto,
que seja sereno e belo,
E que pra deixar de ter nome,
 escolho Maria, porque ela tem
 “a estranha mania de ter fé na vida” 
E que todos Saibam:
 MARIA, SEU NOME É MULHER!
*
Postar um comentário