quinta-feira, 26 de agosto de 2010

"Errando"

Nada sei dessa vida
Vivo sem saber
Nunca soube, nada saberei
Sigo sem saber..
Que lugar me pertence
Que eu possa abandonar
Que lugar me contém
Que possa me parar...

Sou errado, sou errante
Sempre na estrada
Sempre distante
Vou errando
Enquanto tempo me deixar
Errando
Enquanto o tempo me deixar...

Nada sei desse mar
Nado sem saber
De seus peixes, suas perdas
De seu não respirar...
Nesse mar, os segundos
Insistem em naufragar
Esse mar me seduz
Mas é só prá me afogar...

Sou errado, sou errante
Sempre na estrada
Sempre distante
Vou errando
Enquanto o tempo me deixar
Errando
Enquanto o tempo me deixar...

Sou errado, sou errante
Sempre na estrada
Sempre distante
Sou errado, sou errante
Sempre na estrada
Sempre distante
Vou errando
Enquanto o tempo
Me deixar passar
Errando
Enquanto o tempo me deixar...
*
Postar um comentário